Procure pelas Tags

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon

As quatro confianças

 Li no mês passado o livro "A Essência do Sutra do Coração", do mestre budista tibetano Dalai Lama, uma leitura para quem gostaria de entender mais sobre a compaixão e o sofrimento, e como nos livrar de um em aproveitamento do outro, pois buscamos todos a felicidade. E sobre esse tema,compaixão,  Dalai Lama nos diz no livro: " Compaixão é uma aspiração, um estado da mente, de querer que os outros fiquem livres do sofrimento. A compaixão genuína deve ter sabedoria e bondade amorosa, ou seja, a pessoa deve entender a natureza do sofrimento do qual deseja libertar os outros, isso é sabedoria". E assim, praticando a compaixão para com o outro, estaremos praticando o mesmo conosco mesmo. Nos entendendo e nos liberando do sofrimento.

 

O segundo destaque que gostaria de enumerar, ainda no livro"A Essência do Sutra do Coração", editora Gaia,, se refere às "quatro confianças" que o Dalai Lama ressalta à todos os budistas, praticantes ou simpatizantes, e outras pessoas, mesmo ateus que, independente de religião ou filosofia, elas nos leva à uma importante reflexão. Vamos às "quatro confianças":

1 - "Não confie meramente na pessoa, mas nas palavras;

2 - Não confie apenas nas palavras, mas em seu significado;

3 - Não confie apenas no significado provisório, mas no significado definitivo;

4 - Não confie apenas no entendimento intelectual, mas na experiência direta".

 

O que o texto diz, através do Dalai Lama, é simples e objetivo: as palavras possuem um peso importante em seus sentidos, mas somos nós que devemos usar a mente para pensar, meditar, refletir sobre os seus significados. O mau costume que temos de levar tudo ao pé da letra, ou não prestarmos atenção ao que estamos ouvindo ou mesmo falando, pode nos causar sofrimentos, aflições, ansiedades, medos, temor, pânicos. Na prática, 'o falador', por seu turno, é também convidado a refletir sobre as palavras a serem ditas ao seu interlocutor. 

 

"As quatro confianças" se exercitadas por nós, vai nos liberar de muitos conflitos, e nos oferecer mais alegrias e felicidade.

 O Dalai Lama, no mesmo livro, lembra que "o Buda (Shakyamuni, nascido Sidartha Gautama, em 563,em Lumbini, no Nepal) nos dá permissão para examinar criticamente até os seus próprios ensinamentos. O buda sugere que façamos uma investigação completa sobre a verdade de suas palavras e que as verifiquemos por nós mesmos e só depois, aceitá-las, mas por reverência".

 

Usar a mente para as devidas reflexões e praticar a compaixão, mesmo que seja em pensamento, desejando aos necessitados conforto e amor, já é suficiente para melhorar a nossa vida, e controlar o Eu que tanto deseja nos dominar.

 

 

 

 

Please reload

Posts Recentes

05.03.2019

13.11.2018

Please reload

Procure pelas Tags
Please reload